Imagens da classe trabalhadora em luta

 

João Zinclar era um dedicado militante que organizava as imagens que produzia em seleções temáticas, para divulgá-las sob a forma de exposições, livros e vídeos que registram a luta de classes e as formas de resistência dos movimentos sociais.

Para dialogar com o atual momento de resistência da classe trabalhadora aos ataques do golpe em curso em nosso pais, em especial as manifestaçoes desses trinta dias de resistência e denuncia da injusta prisão de Lula, apresentamos 26 fotografias que datam de 1998 a 2013, momentos fortalecedores da trajetória do movimento sindical combativo e classista.

A essas imagens acrescentamos dois poemas de Bertholt Brecht que exaltam a certeza da classe trabalhadora de seu papel histórico na luta pela emancipação da humanidade das opressões impostas pela classe capitalista. Uma luta que apenas começou.

7 de maio de 2018

 

 

 

 

1998 – Ato contra desemprego – ABC 

1999 – Primeiro de maio – Servidores Públicos Municipais – Campinas

 

1999 – Greve de condutores e servidores municipais – Campinas

 

1999 – Greve dos Condutores – Campinas

 

2000 – Campanha salaria metalúrgicos – Campinas

 

2000 -Greve funcionalismo – São Paulo

 

2001 – Campanha Eleitoral – Campinas

 

2006 – MST – Marcha pela Reforma Agrária -Brasilia-DF

 

2009 – Campinas

 

2009 – Servidores Municipais em Greve – Campinas

 

2009 – Sindicato dos Químicos – Campinas

 

2011 – Ato Fora Bush – São Paulo

 

2011 – Ato Fora Bush – São Paulo

 

2011 – Campanha salarial metalúrgicos- São Paulo

 

2011 – Greve dos Correios – São Paulo

 

2011 – Luta pela Terra – Limeira

 

2011 – Luta pelo SUS

 

2011 – Luta por Moradia 

 

2013 – 17 de janeiro – Ipatinga

 

2013 – 17 de janeiro – Viagem de trem

 

Luta por Direitos

 

Luta por Direitos

 

 

Luta por Direitos

 

Luta por Direitos      

 

 

Nossos inimigos dizem

Nossos inimigos dizem: a luta terminou.
Mas nós dizemos: ela começou.

Nossos inimigos dizem: a verdade está liquidada.
Mas nós sabemos: nós a sabemos ainda.

Nossos inimigos dizem: mesmo que ainda se conheça a verdade
ela não pode mais ser divulgada.
Mas nós a divulgaremos.

É a véspera da batalha.
É a preparação de nossos quadros.
É o estudo do plano de luta.
É o dia antes da queda de nossos inimigos.


Canção
Eles tem códigos e decretos.
Eles tem prisões e fortalezas.
(sem contar seus reformatórios!)
Eles tem carcereiros e 
juízes que fazem o que mandam por trinta dinheiros.
Sim, e para que?
Será que e
les pensam que nós, como eles,
seremos destruídos?
Seu fim será breve e eles hão de notar
que nada poderá ajudá-los.

Eles tem jornais e impressoras
para nos combater e amordaçar.
(sem contar seus estadistas!)
Eles tem professores e sacerdotes
que fazem o que mandam por trinta dinheiros.
Sim, e para que?
Será que precisam a verdade temer?
Seu fim será breve e eles hão de notar
que nada poderá ajudá-los.

Eles tem tanques e canhões,
granadas e metralhadoras
(sem contar seus cassetetes!)
Eles tem 
polícia e soldados,
que por pouco dinheiro estão prontos a tudo.
Sim, e para que?
Terão inimigos tão fortes?
Eles pensam que podem parar,
a sua queda, na queda, impedir.
Um dia, e será para breve
verão que 
nada poderá ajudá-los.
E de novo bem alto gritarão: Parem!
Pois nem dinheiro nem canhões
poderão mais salvá-los.

 

Bertholt Brecht